Com o intuito de deter o crescimento da pornografia infantil online – a quantidade de vídeos e fotos é alarmante – Google e Microsoft se uniram para anunciar um plano de bloqueio dos termos relacionados à pornografia infantil dos resultados de busca. As mudanças no algoritmo de busca promete banir mais 100,000 termos que podem ser relacionados a vídeos ou imagens de abuso sexual infantil.

 

 

Inicialmente, estas mudanças valem apenas para países de língua inglesa, mas a promessa é que elas serão expandidas para mais de 150 idiomas nos próximos seis meses.

 

Eric Schmidt, presidente executivo do Google, declarou ontem ao Daily Mail que nos últimos três meses mais de 200 pessoas estão trabalhando para desenvolver uma nova tecnologia para solucionar o problema e prevenir que os resultados de busca do Google apresentem conteúdo contendo pornografia infantil. Estas medidas também serão expandidas para o Youtube.

 

O Google anunciou ainda que tem planos de, a partir de Junho, construir uma base com estas imagens contendo abuso infantil para compartilhar com outras empresas de tecnologia, ONGs e órgãos competentes ao redor do mundo, colaborando assim com a remoção deste conteúdo.

 

A Microsoft não fica atrás nesta batalha e ajudou a desenvolver uma tecnologia de correspondência de imagem para o Centro Nacional de Crianças Desaparecidas e Exploradas. Esta tecnologia é, inclusive, utilizada por outras grandes empresas na internet – incluindo o Facebook.

 

Continuaremos de olho nas notícias e qualquer novidade, o Digaí te informa.