Espalham-se ao redor do país diversos protestos que vêm tomando as ruas das principais cidades brasileiras. Situações como essas colocam as empresas numa situação de conflito interno sobre como devem se posicionar em meio a uma situação tão complicada. Em meio a isso, algumas empresas se posicionam perante esses protestos e vêm lançando ações relacionadas a este tema, que acabaram causando alguma repercussão dentro das redes sociais.

 

Diversas empresas próximas aos locais onde essas manifestações ocorreram liberaram seu wi-fi para os manifestantes, prestando assim um apoio para que os participantes desses protestos pudessem postar o que acontecia nas redes sociais em tempo real, como é o caso da Luana Davidsohn Cupcakes, que postou a seguinte imagem no facebook:

 

Luana Davidsohn Cupcakes

 

Outras empresas, como a rede de hotéis Accor, apenas fizeram questão de manifestar seu apoio a esses movimentos:

 

Accorhotels

 

O grupo Trigo posicionou-se como uma empresa que não deixaria de lado sua responsabilidade social e que abriria mão de falar sobre suas marcas (Spoleto, Koni e Domino’s Brasil) por uma semana, abrindo aquele espaço para as manifestações. Ainda ressalta que essas manifestações devem ser pacíficas, conforme vemos abaixo:

 

Grupo Trigo

 

Sabemos que as empresas precisam de bastante pesquisa para se conectar ao seu consumidor, conscientizando-se daquilo que lhes é demandado por seu público-alvo e apresentando um conteúdo relevante para esse possível cliente. Sabemos também que essas manifestações apresentam um risco enorme de a empresa preparar uma ação que trate desse tema polêmico e gerar repercussão negativa para a marca, sendo taxada de oportunista. É preciso ter muito cuidado e profissionalismo na hora de lidar com um tema tão complexo para que essa ação permita a empresa se destacar tratando de um assunto tão polêmico, gerando um forte diferencial perante aquelas marcas que não manifestaram nenhuma opinião sobre o assunto.