Como resultado da fusão entre estratégia militar, cooperação científica, iniciativa tecnológica e inovação contracultural, vimos o despontar daquela que já transformou as nossas vidas: A Internet. Suas origens ancoram-se na precursora ARPANET (Advanced Research Projects Agency Network), primeira rede operacional de computadores à base de comutação de pacotes, desenvolvida, segundo Manuel Castells (2004) pela ARPA (Advanced Research Projects Agency), em setembro de 1969.

 

Hoje, mais de 40 anos depois do seu nascimento, na data em que a ONU estabeleceu como o “Dia Mundial da Internet”, também conhecido como o “Dia Mundial das Telecomunicações e da Sociedade de Informação”, escrevo este post para “homenagear” aquela que está entrelaçada, de forma irrevogável, ao nosso cotidiano, nos transportando através do tempo e do espaço e modificando, na sociedade, as noções básicas de proximidade, relacionamento, informação e convivência.

 

Com a potencialidade de “aproximar” pessoas, empresas, marcas, contextos, lugares e culturas, além de ampliar e democratizar o conhecimento e a inteligência construída coletivamente, a Internet se instalou no nosso dia a dia – fazendo surgir a Cibercultura, os universos virtuais e a comunicação mediada por computadores, como os frutos de uma sociedade que integrou avanços tecnológicos e conhecimentos em telecomunicações, linguagem audiovisual e informática. Essas e outras razões podem explicar o porquê da Internet e suas funcionalidades parecerem tão intrínsecas à experiência humana contemporânea.

 

De fato, a evolução tecnológica que testemunhamos bem como o desenvolvimento de uma sociedade midiática tal qual conhecemos hoje, sempre esteve associada à busca constante do homem pela superação dos obstáculos de tempo, de espaço, de distâncias, de quantidade e qualidade das informações. E mesmo que, para chegar ao patamar da comunicação digital que vivemos hoje, diversas etapas, em décadas de evolução, tenham sido necessárias ao progresso da comunicação entre as pessoas, a digitalização só foi possível com o advento da Internet. A ela, portanto, a nossa homenagem hoje!