Eu não estou falando sobre não mentir nas redes sociais. Eu estou falando sobre falar sobre como você realmente se sente, bem ou mal.

 

Para isso existe o Pencourage, a rede social para todos falarem de verdade como foi o dia. Conhecem? Eu resolvi testar. Fiz um perfil e comecei a navegar pelos posts.  E achei a experiência bem interessante.

 

O Pencourage foi criado no final do ano passado e tem o slogan “e se você pudesse ler o pensamento das pessoas?”. Visualmente, a rede se parece com o Pinterest. Um fundo branco com cabeçalho vermelho, menu simples e posts com imagens grandes, textos curtos e a mesma estrutura de quadradinhos espalhados na tela. A rede é anônima, ninguém entra com nome real e o Pencourage incentiva o usuário a manter as atualizações em forma de diário. Todos os dias a rede pede uma atualização, formando um calendário de postagens. A mecânica é simples, fácil de usar e elegante visualmente. E o conteúdo é ainda mais interessante.

 

Fiquei curiosa em saber que tipo de desabafo eu encontraria lá. Encontrei muitos. Desde pessoas que “roubaram na dieta” até um usuário falando que o pai está enfrentando um câncer e ela/ele está precisando se fazer de forte. O Pencourage tem uma função muito legal. Você pode “mandar amor” para alguém. É só clicar no botão com um coraçãozinho em alguma postagem para enviar um apoio moral para o dono do post. Legal. Outra funcionalidade é o pedido de conselhos. Você faz uma pergunta e os participantes da rede votam na melhor resposta para seu dilema.

 

Meu primeiro post foi uma reclamação sobre algo que está me incomodando. Um minuto depois, três pessoas me mandaram amor. Eu me sentir melhor. Sério! Uma pessoa me mandou uma frase de “sei como é”. Fui ver o perfil dela (presumo que é uma mulher). Em seu perfil, minha nova amiga virtual postava sobre “querer ser mais do que é” e dizia que “está se sentindo sozinha sem “ele” e está confusa, mas feliz”. Ela posta muitas fotos, mas, claro, nenhuma que a identifique. Achei divertido acompanhar histórias alheias, diariamente, e torcer pelos “personagens da vida real”.

 

Durante meu teste encontrei histórias interessantes como a do usuário (a) que contou que andou “bebendo e pensando nele”, ou a mulher que confessava anonimamente que estava apaixonada pelo chefe. “Eu não estou ok e não sei o que fazer”, foi outro post que encontrei. Depois de alguns dias da minha primeira postagem, eu postei dizendo que meu problema tinha melhorado e uma pessoa me respondeu com um “que bom que seu dia foi melhor hoje”. Legal! Na minha última visita ao Pencourage antes de escrever esse texto, um post me chamou atenção. Uma pessoa disse que só queria um abraço. O resultado: várias pessoas mandaram “abraços virtuais” para ela.

 

Mas a rede não é feita só de histórias de gente sofrendo. Como disse, é uma espécie de diário mesmo, dá para postar histórias, fotos, músicas, vídeos… Enfim, é uma forma interessante de registrar o dia a dia, montar uma agenda de viagem, documentar o andamento de projetos por data, e assim por diante.

 

Animaram-se para testar? Brinquem lá e depois me digam o que acharam!

 

Pencourage: https://www.pencourage.com/