Nos últimos anos, temos ouvido falar muito em marketing digital. São várias agências oferecendo serviços de marketing digital, empresas realizando ações de marketing digital, profissionais se especializando em marketing digital e universitários interessados em atuar em marketing digital. É verdade, é muito marketing digital… A área inclusive é apontada como altamente promissora em várias matérias, como essa, em que a Exame a aponta como a de maiores salários do ano de 2013, atraindo a atenção dos profissionais e estudantes.

 

Há algo que acho muito curioso em tudo isso: muitos não sabem exatamente o que é marketing digital. Isso mesmo, muitos acham que é sinônimo de propaganda na Internet ou de criar um perfil no Twitter e Facebook para divulgar um negócio. Vejo muita gente confundindo o termo ou utilizando-o de forma indevida, assim como vejo confusão entre “redes sociais” e “mídias sociais” e entre “mídias sociais” e “mídias digitais”. Já vi inclusive eventos organizados por consultores da área em que termos como esses foram aplicados de forma indevida. Diante desses mal entendidos, achei que abordar a definição de marketing digital seria um bom tema para meu primeiro post em um blog que trata especificamente desse assunto.

 

O que é marketing?

 

Antes de compreender o que é marketing digital, é importante entender o que é marketing, pois a má compreensão deste termo é a causa de boa parte da confusão. Segundo a AMA (Associação de Marketing Americana), “Marketing é a atividade, conjunto de instituições e processos para criar, comunicar, entregar e trocar ofertas que têm valor para consumidores, clientes, parceiros e a sociedade como um todo” e eu diria que o marketing digital é o próprio marketing utilizando artefatos digitais, como computadores, celulares e tablets, conectados à Internet.

 

Componentes do Marketing Digital

Componentes do Marketing Digital

 

Os 4 Ps no Marketing Digital

 

O marketing pode ser entendido através dos famosos 4 Ps: Produto, Preço, Praça e Promoção. O primeiro deles constitui os processos relacionados à definição dos Produtos ofertados pela empresa, como a realização pesquisas de mercado. Quando esses processos ocorrem com o uso de tecnologia e artefatos digitais, eles pertencem ao marketing digital. Nesse contexto, além de processos ligados a produtos tradicionais usando mídias eletrônicas, também fazem parte do marketing digital a criação de startups digitais, a concepção de produtos puramente digitais como Netflix e Skype ou de bens físicos que fazem pouco sentido sem a Internet (como uma smart TV ou um tablet).

 

O segundo P (de Preço) também é impactado pelo digital. Quanto custa “alugar” um filme no Netflix? E na locadora? Quanto custa uma ligação para o Japão via Skype? E uma ligação DDI via uma operadora tradicional? Quanto custa um curso presencial? E um curso online? É, o digital tem mudado bastante o preço das coisas, conforme é apontado por Chris Anderson, em seu livro Free.

 

O P de Praça digital nada mais é do que o e-commerce, em que a venda dos produtos e serviços é realizada através de sites na Internet. Em produtos digitais, ele também se aplica à entrega, que pode ser realizada através de download ou streaming, por exemplo.

 

Por fim, a Promoção digital consiste na comunicação da empresa através das mídias digitais. Isso inclui várias ferramentas e plataformas, como websites, redes sociais, links patrocinados, SEO (search engine optimization), e várias outras. É pessoal, esse é o P em que estão o “fazer propaganda na Internet” ou o “usar Facebook e Twitter para divulgar um negócio”.

 

Como pode ser visto, eles são parte do marketing digital. Uma importante parte, o P mais impactado pelas mídias digitais, mas apenas uma delas. O marketing digital é muito mais amplo do que propaganda ou redes sociais, e é essa visão que teremos aqui no Digaí!

 

E a discussão sobre “mídias digitais” x “mídias sociais” x “redes sociais”? Bom, isso aí é já assunto para outro post! 🙂