Um erro muito comum que empreendedores cometem é na hora de definir em que tipo de mídia investir. Isso muitas vezes acontece pelo leque amplo de opções de mídia que temos disponível, como Google, Facebook, E-mail Marketing e esse são só alguns exemplos.

Por isso é preciso saber que meios são condizentes com seu público e com o posicionamento da sua marca para entender exatamente onde investir e assim obter sucesso com suas estratégias de marketing.

Investir na mídia digital certa vai garantir melhores resultados, uma comunicação mais próxima com seu público, captação e manutenção de clientes além de evitar que você tenha prejuízos financeiros.

Mas com tantas opções, como saber a mídia certa para investir?

Investir na mídia certa é essencial para o sucesso

Cada canal, plataforma e estratégia vão ser mais ou menos adequados dependendo do tipo de negócio. Além disso, é preciso levar em consideração o seu objetivo com aquela campanha em específico para assim definir não só que mídia usar, mas também a frequência e o formato.

Para ajudar você a entender como definir quais as mídias certas para investir, vamos dividir a análise em três principais pontos:

A plataformas mais utilizadas pelo seu público

É muito importante saber onde o seu público está, por exemplo, se o seu público não utiliza email, não faz sentido investir em estratégia de e-mail marketing ou se o target não tem o hábito de usar WhatsApp, qual seria a lógica de investir numa estratégia de WhatsApp marketing?

Um erro muito comum que percebo empreendedores e empresários cometendo é a realização da escolha da mídia por identificação própria com a plataforma. Mas é importante lembrar que não é porque você usa e gosta do Facebook que o seu público usa também.

Só saber que o seu público usa a plataforma não é suficiente

Vamos representar esse tópico com um exemplo: você descobre que a mídia que o seu público mais utiliza é o Google e por isso decide que vai investir em anúncios no nessa plataforma.

E aí, só isso é suficiente? A resposta é não! Nesse caso, existe outro fator muito importante que vai influenciar no desempenho da sua estratégia: as palavras-chave. É preciso descobrir quais as mais utilizadas pelo seu público na hora de fazer uma pesquisa.

Agora que você já descobriu a mídia, as palavras-chave ainda é preciso lembrar que não necessariamente o seu público vai ser o único utilizando essa palavra-chave. Por isso que é importante pensar em outras formas de segmentação que ajudem aquela campanha em específico a ser exposta ao público pretendido.

Essa segmentação vai permitir que você atinja diretamente pessoas que possivelmente teriam interesse em conhecer e comprar o produto ou serviço que o seu negócio está oferecendo.

Uma estratégia interessante para público B2B é trabalhar o Google e o Facebook de forma integradas e assim conseguir gerar resultados dentro do Facebook mesmo tendo uma empresa B2B, voltada para o público corporativo.

Inclusive já saiu um Digcast em que discuto esse assunto com um convidado super especial, o Daniel Brasil, você pode clicar aqui para escutar!

Estar numa mídia em que você consegue ter uma presença de qualidade

Para você estar no YouTube você precisa fazer conteúdo em formato de vídeo, assim como para estar no Facebook você precisa produzir textos, imagens e vídeos. Se quer fazer um Podcast, é preciso ser capaz de produzir conteúdo em áudio. Mas não basta apenas poder fazer, como também fazer um conteúdo de qualidade.

Além disso, é preciso estar ciente de que é fundamental manter a regularidade de postagens. Não faz sentido você estar no YouTube e postar um vídeo por ano, ou criar um perfil no Instagram e só fazer publicações uma vez por mês.

É preciso manter a constância independente da mídia escolhida. Isso acontece porque os seus seguidores esperam esse comportamento por parte do seu negócio. Também é necessário para que você consiga manter a sua presença digital sempre viva e impactando as pessoas de forma eficaz.

Outro ponto interessante de lembrar é que as mídias digitais possuem um certo nível de hierarquia. Vamos exemplificar: estou começando uma empresa agora. Antes de pensar em mídias, preciso criar uma identidade visual para o meu negócio. Isso feito, é possível já criar um site e disponibilizá-lo na internet.

A seguir eu já posso começar a investir numa estratégia de E-mail Marketing, depois Facebook ou YouTube. O importante é perceber que existe essa escala de hierarquia e que você não deve tentar pular para o terceiro degrau se você ainda não passou pelo primeiro.

Entendendo essa prioridade de canais e também tendo a noção de que ela varia de acordo com o tipo de negócio você vai conseguir definir o que deve priorizar. Existem empresas que vão querer priorizar, após a criação de identidade visual, uma página no Facebook ao invés de um site.

E isso não é errado. Entretanto, criar um aplicativo para uma empresa que tem apenas a identidade visual, por exemplo, não faz sentido e é uma estratégia sem eficácia. É importante fazer essa análise ao escolher qual mídia é mais interessante priorizar para o seu negócio.

Então lembre-se: está na dúvida de que canal escolher? Descubra onde seu o público está, entenda como segmentar para que os seus anúncios alcancem melhor o target e mantenha uma presença digital de qualidade, que você verá o retorno que investir na mídia certa proporciona!

E aí, amigo, curtiu as dicas?