Do Escritório de Neucler Simões

Campinas – São Paulo

 

Prezado(a) Amigo(a) Empreendedor(a)

O que faz um bilionário se dedicar à filantropia doando milhões de dólares anualmente para instituição criada por ele mesmo?

JÁ FAZ ALGUM TEMPO QUE VENHO ME PERGUNTANDO ISSO.

Sinceramente, ainda não encontrei uma resposta que me convencesse. Se você é um bilionário brasileiro eu até poderia achar que era para pagar menos imposto de renda, fazer o que o Estado deveria fazer bem, mas faz muito mal, etc. Mas não se trata de bilionários brasileiros, nessa lista, conta apenas um compatriota nosso.

São bilionários americanos. E suas instituições atuam fora dos Estados Unidos.

Vejamos alguns deles e suas respectivas instituições filantrópicas:

  • Bill Gates – junto com Melinda Gates (sua esposa) – fundou no ano 2000 a Bill e Melinda Gates Foundation;
  • Warren Buffett – Fundou 3 instituições: a Howard G. Foundation, a NoVo Foundation e a Sherwood Foundation;
  • Larry Ellison: CEO da Oracle – Fundou a Ellison Foundation.
  • Jorge Paulo Lemann – o compatriota que me referi acima – Fundou a Fundação Lemann.

ONDE QUERO CHEGAR COM ISSO?

Na última quarta-feira dia 22 de setembro de 2016 acompanhei ao vivo, em uma Live no Facebook, que mais um bilionário entrou para o grupo dos filantropos.

Mark Zuckerberg e sua esposa Priscilla Chan anunciaram a criação e o lançamento de sua instituição, a Chan Zuckerberg Initiative.

O objetivo do casal é concentrar esforços de forma abrangente para curar todas as doenças da vida das crianças nos dias de hoje. Eles vão investir 3 bilhões de dólares durante os próximos 10 anos e 45 bilhões ao longo de suas vidas. Essa iniciativa contará com alguém que tem conhecimento de causa: A senhora Zuckerberg é pediatra. E, talvez, o nascimento do pequeno Max – primogênito do casal – tenha dado um impulso emocional bem significativo.

Mark já é investidor em startups de tecnologia de educação na Índia e na África.

Chan reconheceu que a meta é forte (Hard Core), curar as doenças infantis, mas acredita muito que será atingida. Em um momento de seu discurso ela afirmou que: “Isso não significa que ninguém vai ficar doente, mas significa que nossas crianças e as crianças do um do mundo ficarão menos doentes”

Com essa iniciativa Mark Zuckerberg entra para o grupo bilionários que, através do mundo da tecnologia, se propõem a combater os males que assolam a humanidade.

Bill Gates discursou no evento. Seu discurso soou como que se colocasse um manto sobre o casal Mark-Chan e os dessem as boas-vindas à causa.

De acordo com o próprio Mark o plano é agrupar cientistas e engenheiros para trabalharem juntos na construção de ferramentas e tecnologias e ampliar o movimento para financiar a ciência. 600 milhões de dólares serão destinados para a criação de um “BioHub” na cidade de São Francisco para atuar no recrutamento, interação de talentos e no apoio aos trabalhos a longo prazo.

Eles vão desenvolver novas ferramentas para a ciência, que muitas vezes parecerão descobertas científicas, segundo Mark. A inteligência Artificial será amplamente usada para ajudar nas análises sobre o funcionamento do cérebro humano. Prometeu também que todas as ferramentas desenvolvidas serão totalmente disponibilizadas para serem usadas amplamente por todos os cientistas ao redor do mundo.

O Próprio Bill Gates disse com todas as letras: “Precisamos desesperadamente dessa ciência”.

O Objetivo é enorme

A CAUSA É NOBRE E NECESSITADA

Mas, por quê?

O que esses bilionários realmente pretendem quando “entram de cabeça” na filantropia?

Chego ao fim desse texto sem ter uma resposta clara.

Quer saber? De nada importa ficar investigando causas, motivos, para ações que vão beneficiar e transformar a vida de bilhões de crianças em todo o mundo independente de raça, crenças, posição social, etc.

Que seja bem-vinda qualquer ação filantrópica realmente comprometida com a transformação positiva, benéfica.

É isso, então

Ao seu Sucesso e Prosperidade

 

Neucler Simões

Consultor em Copywriting e Consultor em Vendas Online