Existem negócios que vendem para dois ou mais públicos diferentes e por conta disso apresentam dificuldade em se comunicar online. Afinal, como uma marca consegue estabelecer uma forma de falar com diferentes públicos através de um mesmo canal de forma eficiente?

Deve-se criar um único site ou mais de um? E quanto ao perfil do Facebook e Instagram? Criar mais de um para atender aos diversos públicos? E no YouTube? Deve-se criar dois canais diferentes?

É justamente isso que vamos discutir aqui no artigo de hoje. Serão esclarecidas as dúvidas sobre o que uma marca deve fazer para conseguir se comunicar com todos os seus públicos de forma eficiente, sem que a comunicação da empresa perca sua identidade.

Para ficar por dentro desse assunto é só continuar lendo!

Públicos diferentes Como se Comunicar 1

Negócios X Públicos diferentes

A internet é utilizada por negócios de diversos segmentos como uma ferramenta fantástica de relacionamento e vendas. E fazer isso para alguns negócios pode ser algo relativamente simples.

Por exemplo, uma empresa que possui um único público-alvo ou um grupo de públicos que apresentam necessidades e desejos bem próximos. Isso permite que toda a comunicação da marca seja pensada colocando como questão central esse público.

Assim, a linguagem e os canais serão todos definidos pensando em como o target da marca será atingido de forma mais eficaz. Entretanto, quando um negócio precisa se comunicar com públicos diferentes, a história já é outra. Nesse segundo caso, a comunicação será definida de acordo com o perfil do próprio negócio.

Por exemplo, negócios multilaterais, que apresentam dois públicos complementares, como um site de compra coletiva. De um lado, existe o público que anuncia as ofertas e do outro o público consumidor dessas ofertas.

As dores e necessidades desses públicos são bem diferentes. Enquanto o consumidor busca por descontos, acesso a promoções e ofertas de lugares diferentes, o anunciante quer aumentar sua visibilidade.

Também existem os negócios multiníveis de marketing de rede, que apresentam públicos diferentes mas que não são complementares. Nesse caso, o primeiro público é formado por pessoas empreendedoras, que você quer que entre na sua rede. Por outro lado, o segundo público é formado por pessoas que vão comprar os produtos que você vende.

Um bom exemplo disso é uma revendedora Mary Kay. Ela precisa de pessoas que comprem os produtos, assim como pessoas para vender os produtos. Como nos negócios multilaterais, os dois públicos têm necessidades diferentes: o cliente que compra um cosmético quer mais beleza e bem estar, enquanto a pessoa vai entrar na rede quer uma renda extra ou trocar de profissão. São duas necessidades totalmente distintas que pedem por comunicações igualmente diferentes.

E os públicos diferentes também podem estar ligados à aspectos demográficos, como classe social, faixa etária, nível de escolaridade… Enfim, existem muitas características que podem separar os públicos de forma que a empresa precise adaptar sua comunicação para conseguir falar com todos.

Públicos diferentes Como se Comunicar 2

Como lidar com esses públicos diferentes?

Negócios multilaterais

São aqueles que possuem públicos diferentes e que se complementam. Esse tipo de empresa pede por uma comunicação bem diferente para cada público. Não adianta querer juntar tudo em um só porque o que será proposto para um público é totalmente diferente do que será proposto para o seu complementar.

Vamos usar o Uber como exemplo. Será proposto ao motorista: trabalhe conosco e você ganhará dinheiro. Já para o passageiro, a proposta será: utilize nossos serviços que você terá economia de dinheiro e serviço de qualidade.

Essa comunicação distinta pode ser feita através de canais diferentes. Então, podem ser criadas duas páginas no Facebook, dois perfis no Instagram ou 2 canais no YouTube. Para nos mantermos dentro do exemplo do Uber, um tipo de perfil seria voltado para o motorista e o outro voltado para o passageiro.

Isso permite que a marca fale de várias coisas específicas para aquele público em particular, já que como as dores desses públicos são extremamente diferentes, eles também tem interesse em assuntos diferentes.

Vale ressaltar que é preciso analisar se realmente vale a pena essa estratégia, ou se é melhor manter um canal principal para o público maior e um canal secundário onde seria feita uma comunicação mais voltada para o público menos numeroso. Um canal telefônico ou postagens específicas dentro do próprio canal principal, são bons exemplos disso.

O email marketing também é uma ótima forma de segmentação, já que ele apresenta uma plataforma única, mas dentro dela podem ser criadas duas listas de contatos voltadas para os públicos diferentes.

Negócios multinível

Para esse tipo de negócio é preciso ter duas comunicações: uma para as pessoas que querem aumentar a rede e outra para pessoas que querem adquirir os produtos e serviços. Nesse caso também é preciso pensar se realmente vale a pena fazer isso ou se é melhor se utilizar daquelas estratégia do canal principal somado ao secundário que falei anteriormente.

É importante lembrar que para definir qualquer tática é preciso primeiro analisar os seus públicos. Afinal, só vale a pena investir em canais com os quais o público alvo realmente utiliza, pois não adianta querer estar em todas as mídias sem conseguir garantir a qualidade da sua presença.

Negócios que apresentam públicos com perfis diferentes e necessidades semelhantes

Nesse caso é possível ter um único canal de comunicação e segmentar o público nas próprias postagens. Esse é, inclusive, o caso da maioria dos negócios, como loja de roupas, de jóias, empresas que promovem eventos…

Se você tem uma empresa de roupas, por exemplo, é comum que você tenha públicos diferentes. Mas, como a necessidade do público é a mesma (comprar roupa), a segmentação pode ser feita nas postagens sem que a comunicação perca sua eficácia. Não são necessários canais diferentes.

Após entender se o seu negócio apresenta públicos diferentes e estudar esses públicos, implementar essas estratégias que citei aqui no artigo vão fazer toda a diferença no impacto que a comunicação da sua empresa vai ter.

E aí, amigo, já parou para pensar em como você tem conversado com os seus públicos?