O ano de 2015 talvez não esteja sendo bom para os negócios, porém, ainda assim, recomenda-se focar mais em crescimento e remanejamento dos investimentos para outras áreas do que em corte de custos. Pesquisa divulgada recentemente pela empresa de consultoria Gartner, revela que um terço dos CEOs entrevistados pretendem investir mais da metade de suas receitas em digital. Por outro lado, a maioria possui uma ideia bem superficial sobre como essa mudança permitirá o aumento na receita.

 

Essa compreensão limitada faz com que considerem apenas como uma oportunidade maior de venda online através de redes sociais, e-commerce e dispositivos móveis. Sem dúvida, este tipo de investimento vai produzir algum resultado. Mas será o suficiente para um futuro digital nas empresas?

 

Antes de tudo, os líderes devem permitir que o digital seja embutido no DNA das companhias ao invés de ver somente como uma ação momentânea de marketing. Alguns segmentos já sentem “na pele” a necessidade desta mudança. É o caso da indústria imobiliária e de transporte com o Airbnb e o Uber, respectivamente, que mostram as mudanças trazidas pelo digital.

 

 

 

Modelo digital

 

Toda mudança traz algum tipo de apreensão, só que talvez este seja um caminho sem volta. De acordo com o Gartner, apenas um terço dos CEOs estão mudando seu modelo de negócio ou devem fazê-lo nos próximos dois a três anos. Por outro lado, a pesquisa mostrou maior interesse pela Internet das coisas (IoT), mas ainda há dúvidas sobre como pode ser empregada em suas estratégias de negócios e esse interesse inicial pode diminuir com o tempo.

 

A pesquisa do Gartner analisa a forma como o crescimento e a tecnologia são prioridades para CEOs, bem como a necessidade de mudança estrutural profunda. Os resultados devem ser discutidos no Gartner Symposium / ITxpo 2015, evento que acontece em outubro em São Paulo (SP).

 

Cenário brasileiro

 

Fazendo um paralelo com o momento vivenciado hoje no Brasil, pode-se dizer que muitos empresários enxergam a crise econômica de outra forma. Como uma oportunidade, por exemplo, de aumentar seus investimentos em digital e de se preparar verdadeiramente para esse novo modelo de negócio.

 

Muitas empresas estão sofrendo um grande impacto em 2015, com projetos sendo adiados ou cancelados. Embora o mercado brasileiro ainda tenha bastante espaço para crescer, a crise econômica atrapalha o seu desenvolvimento. A saída para muitos empresários tem sido buscar outras oportunidades e outros mercados.

 

A tecnologia deve ser prioridade neste ano, assim como um investimento maior nesta área. Só não vale usá-la para fazer as coisas de sempre, pois se precisa de inovação. Envolver também as empresas em inciativas digitais é uma boa opção para ajudar a garantir ou aumentar o faturamento em um cenário nada favorável. Desde que envolva uma estratégia de marketing digital eficiente.