Recentemente vi um post, numa das comunidades do Facebook que participo, que fazia exatamente essa pergunta e obteve as mais diferentes respostas.

 

De maneira geral, não se chegou a nenhuma conclusão – e isso serve para ressaltar a divergência e a falta de informação relacionada a esse assunto.
Muitos defendem que o tema startup ainda é novo no Brasil, outros que falta informação suficiente, mas na prática o que acontece é um despreparo generalizado do próprio empreendedor de base tecnológica.
O que não falta na internet são cursos e treinamentos oferecidos de graça sobre o tema, tanto em inglês (língua oficial para quem deseja iniciar uma startup) como em português.

 

Qual o real objetivo de uma startup - foto

 

Aproveito para indicar esses três:

 

a)    The Lean Startup Talk @ Stanford E-Corner com o criador do movimento Lean,  Eric Ries
b)    How to Build a Startup com Steve Blank 
c)    Conhecendo o Business Model Canvas da Bizstart

 

Além de cursos gratuitos, sites como o da comunidade de startups do Mato Grosso do Sul oferecem diversos e-books grátis, bastando apenas realizar o download e começar a estudar.

 

 

Quando questionados sobre a falta de informação e estudo, os empreendedores culpam o Sebrae, universidades, governo, entre outros, como os vilões da situação. Poucos são os que estão conscientes de que a responsabilidade cabe a eles.

 

 

O mundo de hoje está transbordado de informações, como nunca antes na História, e as possibilidades são infinitas. Neste sentido, se quer montar uma startup, o ideal é já começar desenvolvendo sua educação empreendedora, antes inclusive de validar sua ideia. Leia os livros básicos sobre o assunto, estude as metodologias vigentes, participe de treinamentos, engaje-se na comunidade de empreendedores da sua região.

 

 

Voltando à questão do objetivo de uma startup, Steve Blank, um dos principais pensadores sobre o assunto, é categórico ao afirmar que o objetivo de toda startup é deixar de ser startup. Adoro essa definição porque choca muitos empreendedores no Brasil.

 

 

Ao que parece, o glamour de criar uma startup é muito maior que o de ser empresário. Já vi jovens deixarem de lado negócios promissores porque não se encaixava na ideia bizarra que tinham do que vinha a ser uma startup. Queriam estar na mídia, ser famosos, ter suas fotos estampadas nos blogs de tecnologia…

 

Hoje a mídia dá muita atenção às startups, até porque tudo que é novo encanta. Mas essa é uma armadilha que precisa ser evitada.

 

Quem leu o “A startup Enxuta”, de Eric Ries, livro básico para o empreendedor da área, vai encontrar lá claramente que um dos erros a ser evitado é justamente o de se estar na mídia fazendo promessas muito cedo, tendo em vista que, dessa forma, torna-se ainda mais complicada a difícil decisão de fazer um pivot, quando for inevitável.

 

Não sabe o que é o pivot? Aproveita então para começar agora sua educação empreendedora..