Sim, você não leu errado. Nós podemos aprender marketing com Romário, ex-atacante da seleção brasileira e ídolo em diversos clubes. Não, se você colocar no Google “curso de marketing com Romário”, não vai aparecer algum resultado de aulas com o baixinho.

Mas analisando a carreira do craque da camisa número 11, vemos pontos importantes que podemos aplicar na nossa empresa e até em nossas vidas. Antes de falar quais são esses fatos e matar sua curiosidade, vamos dar um breve resumo da carreira dele.

Trajetória do baixinho

Romário de Souza Faria, ou apenas Romário, nasceu na comunidade do Jacarezinho, no Rio de Janeiro. Vindo de família humilde, viu no futebol uma oportunidade de mudar a sua vida. Surgiu para o futebol no Vasco da Gama, mas também teve passagens pelo Flamengo e Fluminense, todos do Rio de Janeiro. Jogou na Espanha, Holanda, Estados Unidos e Austrália, mas foi no Brasil que passou a maior parte da carreira.

Na Espanha, inclusive, defendendo a camisa do Barcelona, recebeu o prêmio de melhor jogador do mundo, em 1994, ano em que foi campeão mundial defendendo a seleção brasileira. O baixinho, como era conhecido, encerrou a carreira em 2008, com mais de 1000 gols computados, se tornando o segundo jogador à época a ultrapassar esse feito, ao lado de Pelé.

Depois dessa apresentação, vamos ao que interessa.

football-1486353_1920

Seja uma referência

Se você está acostumado ou acostumada a assistir partidas de futebol, já deve ter escutado algum narrador falar: gol com a cara de Romário. O craque da camisa número 11 era o rei da grande área em naquele espaço ele se sobressaía em relação aos zagueiros. Então quando algum jogador faz algo que seja parecido ao que Romário fazia, logo esse fato é lembrado pelos comentaristas e narradores.

O que isso tem a ver com marketing? Acompanhe meu raciocínio. Se você faz algo tão bem feito que vira referência no assunto, logo outras pessoas/empresas serão comparadas a você quando elas fizerem algo relacionado. Procure ser o Romário do seu ramo, para que seu negócio seja associado a qualidade e competência. O baixinho parou de jogar há quase 10 anos, mas quando algum jogador faz gol de bico, o comentarista logo solta um “Gol estilo Romário”.

Foque no seu negócio

Poucos jogadores na história conseguiram ser ídolo por times rivais. Ele iniciou a carreira no Vasco, passou pelo Flamengo e perto do fim da carreira ainda jogou no Fluminense. Isso só foi possível pelo fato dele não se importar com o que os outros falavam dele. Quando ele chegou ao Flamengo, não deu ouvidos às dúvidas que tinham sobre ele ter sido criado no rival Vasco. Foi lá, fez seu melhor, foi artilheiro e virou ídolo da maior torcida do Brasil na época.

Novamente esse é um conceito que você pode aplicar na sua estratégia de marketing. Se você estudou, analisou e sabe do que é capaz, continue trabalhando. Não dê ouvidos a opiniões que não sejam construtivas ao seu negócio, foque no que é importante e siga seu planejamento.

Você elaborou seu planejamento, você conhece sua realidade, seu cronograma e o seu negócio, então você sabe o que está fazendo, concorda? Então acredite no seu potencial, no seu planejamento, e continue trabalhando duro. O que não falta é gente querendo dar opinião onde não foi chamado sem ter conhecimento algum dos nossos planos e da nossa realidade.

football-1439055_1920

Venda o seu conceito e seja fiel a ele

Ele era sincero até demais. Romário é o jogador que sentimos falta no futebol de hoje em dia. Suas entrevistas eram diferenciadas, com respostas fora dos padrões dos boleiros. Isso atraía a atenção da torcida, jornalistas e outros jogadores. Isso gerava mídia em torno do seu nome, o que o deixava sempre em evidência. Essa sua sinceridade não agradava a todos, mas o seu público, aqueles que compactuavam com seu discurso, viam nele uma referência.

Mais uma vez, esse é um conceito que deve ser aplicado em toda empresa. A sinceridade de Romário seria a imagem da empresa, e embora ela não agrade a todos, o importante é a familiarização do público com a visão apresentada. Não tente parecer uma empresa preocupada com causas ambientais se você não cria ações voltadas para esse âmbito. Mostre e seja o que você quer que sua empresa seja, venda o que ela é.

Não tente se adequar ao meio, não tente agradar todos os públicos, vá por mim, isso é impossível. Foque no seu público, apenas a opinião dele deve ser importante para sua empresa. Foque em produzir um produto/conteúdo que seja fiel às suas características. Afinal, se eles te seguem, é porque o que você faz os agrada.

Planejamento de estratégias

Romário é conhecido por, dentre tantas conquistas, ter ultrapassado a marca dos mil gols. Mas para que essa meta fosse alcançada, o atleta precisou focar sua carreira em mercados um pouco alternativos para um jogador de ponta. No fim da sua carreira, quando ele já contabilizava 940 gols, acabou se transferindo para jogar nos EUA e, posteriormente, Austrália. Para que chegar no seu objetivo, ele aceitou jogar em campeonatos de menor expressão, para que os gols saíssem com maior frequência e, assim, sua meta fosse batida.

Fazendo uma comparação com o marketing, muitas vezes temos uma meta e para que ela seja alcançada, precisamos planejar nossos próximos passos analisando as variáveis e seguir por um caminho que inicialmente não seguiríamos. É necessário ter em mente nossa realidade e medir o que é possível e o que não é, levando em conta os fatores que possibilitam ou não nosso sucesso, sejam fatores financeiros, de estrutura, equipe, etc.

Os 4 P’s

Os 4 P’s do marketing todos já conhecem: Produto, Preço, Praça e Promoção. E o baixinho sabia muito bem como trabalhar cada conceito desse. O produto era sua profissão, ser um jogador talentoso, treinar (mesmo que a contragosto), marcar gols, mostrar resultados.

O preço era uma consequência do que ele fazia dentro e fora do campo. Sabia que quanto mais gols marcasse, mais seu contrato poderia valer. E a equipe que o contratava sabia que haveria retorno ao contar com ele em seu elenco, os geraria venda de camisa, torcida no estádio e resultado dentro de campo.

A praça era a marca do craque. Ele sempre jogou por grandes equipes (no Brasil, todas no Rio de Janeiro) e pela seleção, o que valorizava ainda mais seu valor de mercado.

E promoção era algo que ele fazia dentro e fora do campo. Nas 4 linhas, fazia gols e acabava sendo noticia nos meios de comunicação. Em sua vida pessoal, sempre estava em festas, eventos e se expressava de forma simples e direta, como o povo gosta.

football-1350774_1920

Em resumo: Crie seu produto à sua maneira, defina o custo e o quanto espera lucrar em cima dele, especifique onde ele vai estar e promova ele.

Viu que se pararmos para analisar situações e casos do dia a dia, podemos aprender e aplicar em diversos segmentos de nossa vida? Quem diria que poderíamos aprender marketing analisando a carreira de um jogador de futebol?

É isso aí, amigos. Conte aí o que achou do nosso texto e sugira ideias pro próximos conteúdos!