Áreas tão distintas, não é? Saúde com suas especializações e tecnologia com suas áreas e sub-funções. Mas, por que uma não pode auxiliar a outra? E esse é o poder da comunicação: unir dois espaços para evoluírem e gerarem mais proximidade e utilidade com a sociedade, sanando as necessidades da mesma.

Vamos tratar de cases de sucesso, dicas e formas de como as mídias sociais e seus profissionais podem auxiliar não apenas pontos físicos como hospitais e clínica, mas sim, os pacientes.

Saúde e Aplicativos

“A ideia do negócio nasceu de uma crença minha de que é possível o acesso à saúde sem para isso ser necessário sacrificar uma vida. Quando criança, ouvia muito minha mãe dizendo coisas como: “Pode faltar tudo, só não podemos deixar de pagar o plano de saúde! E fazia parte da crença dela termos que rezar pra não utilizar o referido plano. Aquilo me incomodava muito e nunca me convenceu. Ainda bem!”, relata a advogada e líder da MultSaúde Benefícios, empresa de planos de convênios médicos de Juiz de Fora, Minas Gerais.  

E os cidadãos podem solicitar consultas, exames e atendimento por meio do aplicativo da empresa, que tem mais de 20 mil adeptos, que usufruem em pouco mais de três mil convênios com benefícios na área da saúde e áreas comerciais e cerca de 100 especialidades médicas. Além disso, existem gratuidades como cobertura funerária e remoções médicas 24 horas.  O app está disponível gratuitamente para iOS (https://goo.gl/kTfDjD) e Android (https://goo.gl/dYmXnw).

mul

E essa parceria entre tecnologia e saúde começou há onze anos atrás, onde a advogada Marcelle Oliveira e o cirurgião dentista Fábio Ramos conciliaram suas profissões com o sonho de empreender, abrindo uma clínica no município de Matias Barbosa: “Naquele momento a ideia principal era uma clínica médica e odontológica, que atendesse as necessidades primárias dos cidadãos. Junto com essa ideia, idealizamos o Guia de Convênios Multsaúde Benefícios, naquele momento tendo um pequeno aglomerado de empresas de saúde, com intuito de direcionar e acolher o nosso paciente após sua consulta. Seguimos com o guia, atendendo as necessidades e sugestões dos nossos clientes e, quando nos demos conta, o Guia de convênios já tinha vida própria”, explica a gestora.

Assim como é importante o tratamento de pacientes, não importa qual a sua necessidade, é importante também garantir o acesso à informação, acessibilidade e a proximidade das pessoas com as unidades de saúde. É levar conteúdo de utilidade pública para as pessoas se orientarem como melhorar, garantir qualidade de vida e o acesso a profissionais. Essa é a função dos profissionais de mídia. Estreitar este elo.

Invista em canais de mídia, principalmente onde o seu público será mais atingido com informações e respectivamente, com mais confiança em demandas. Diferentes de serviços como alimentação, educação, obras, etc, a área de saúde requer canais que atendam com urgência extrema, e ir atrás deste público e fidelizá-lo com rapidez o faz tornar referência no município que reside.

Rapidez é a palavra – chave

O conteúdo em si precisa focar em duas coisas: simplificar especializações, consultas, atendimentos e tudo que envolve o ponto de saúde. Que independente do nível intelectual, todos entendam. Segundo: manter os receptores de demandas (mensagens, inbox, direct, mensagens whats) atentos para a recepção destes conteúdos publicados. O humor deve ser dosado para não ser confundido como insulto. Fotos de pessoas apenas com autorização. Conteúdo segmentado como áudio descrição e vídeos mudos seriam ótimos para a inclusão de pacientes surdos e mudos.

Outro fator importante é a assessoria da secretaria de saúde nos municípios. É um elo entre a população e a prefeitura para atualizar sobre as mudanças, novidades e informar campanhas, assim como trazer as demandas dos cidadãos à secretaria e aos responsáveis, assim, melhorando a eficiência do serviço público, pois atenderá às solicitações das pessoas. Até mesmo para fins de investimento em pontos estratégicos.

  • Não deixe de responder demandas muito tempo. A situação trazida pelo usuário pode ser extremamente urgente;
  • As artes, assim como os textos necessitam de objetividade, clareza e impacto para fixar na memória dos usuários as informações e a necessidade de confiar no seu ponto físico ou virtual;
  • É preciso haver um diálogo sólido omnichannel, pois um dependerá da resposta do outro para a resolução dos problemas;
  • Invista em vídeos curtos, com o foco informativo, acalmando, principalmente clientes que podem levar sua situação ao extremo, dificultando o atendimento;
  • É bom ter um “braço” na assessoria de imprensa, para responder demandas dos veículos de comunicação, dar voz a comunidades, verificando seus chamados e esclarecendo dúvidas e situações que podem “manchar” a imagem do local.

Conclusão

Os analistas de mídias sociais são, nesta área, uma espécie de “Pronto – Atendimento/SAC”, por orientar pacientes, desde planos, convênios até a entrada do hospital, cujo detalhe importante seria a agilidade garantida ao consumidor. É a porta que os usuários têm para começar o tratamento ou consulta. Social Media, nessa especialidade, pode salvar vidas.