Segundo dados do Business Insider, até 2021 mais de 70% de toda a publicidade online nos Estados Unidos deve seguir o formato de anúncios nativos.  O número chegou a 56% em 2016.

Ou seja: é bastante provável (e as “tendências para 2017” já apontavam nesta direção) que teremos um aumento significativo neste tipo de publicidade a partir deste ano.

São vários motivos para os anúncios nativos terem uma forte vocação para o crescimento nos próximos anos, entre os principais:

  • O volume de impressões e custo por cliques menores do que a mídia paga tradicional.
  • Melhor experiência do usuário por conta da ‘não interrupção’ por banners e pop-ups.
  • Além do aumento do uso de ad blockers – apontado também como tendência para os próximos anos.


Portanto, isso também significa estar mais ligado nas estratégias e novidades com relação aos native ads que devem surgir em breve.

 

 

TECNOLOGIA + EXPERIÊNCIA DO USUÁRIO

Por falar em pesquisas e estudos, todos indicam que vamos vivenciar um crescimento exponencial da tecnologia a partir deste ano. Só para citar alguns exemplos de tendências: Realidade virtual, biotecnologia, inteligência artificial, conteúdo digital, content remarketing, entre outros…

A tecnologia cresce num ritmo estrondoso e as estratégias de marketing digital devem acompanhar este movimento.

 

Com o crescimento vertiginoso da tecnologia, os anúncios nativos começam a ter papel importante nas estratégias de marketing

Com o crescimento vertiginoso da tecnologia, os anúncios nativos começaram a ter papel importante nas estratégias de marketing

 

De acordo com dados da Cisco, até 2020  – ou seja, em apenas três anos – deveremos ter um aumento significativo no acesso à internet com mais de 4,1 bilhões de usuários conectados à rede. Segundo a empresa, hoje cerca de 3 bilhões possuem acesso.

Com novas tecnologias e mercados em expansão, o momento vai ser também de, cada vez mais, colocar o usuário no centro de uma estratégia de marketing, utilizando o data driven marketing para criar experiências únicas e personalizadas.

Neste contexto, os anúncios nativos entram como parte importante destas estratégias que visam melhorar a experiência do potencial cliente e devem ser fundamentais às empresas para criação de estratégias criativas e dinâmicas.

 

 

AD BLOCKING

Os bloqueadores de anúncios também não ficam para trás quando o assunto é tendência de crescimento.

Segundo estudo realizado pela eMarketer, o número de usuários americanos que utilizam ad blockers cresceu 34,4% entre 2015 e 2016 – com previsão de aumento em mais 24% em 2017.  Crescimento que deve ser acompanhado por outros países, como o Brasil.

Dentro desta perspectiva, os anúncios nativos também surgem como alternativa barata e inteligente para que as empresas não sofram prejuízos e conquistem potenciais clientes que não querem ter sua experiência digital interrompida com banners, pop-ups, pop-unders, entre outros.

DIVULGAÇÃO ‘NÃO INTRUSIVA’

Em entrevista para o Digaí, o coordenador de produtos do UOL Cliques, Leandro Márcio, falou sobre a tendência de crescimento dos anúncios nativos para os próximos anos.

Segundo ele, trata-se de uma necessidade das marcas de divulgarem seus conteúdos de forma ‘não intrusiva’ e mais atrativa aos usuários.

Confira:

 

 

E Você?

Já teve resultados com anúncios nativos ou ainda precisa aprender mais sobre o assunto? Digaí pra gente nos comentários e bora trocar umas ideias!

Um grande abraço e até a próxima!