Dando continuidade à cobertura do Fórum de marketing digital Digitalks 2014 que movimentou João Pessoa em 14 de outubro e reuniu profissionais de comunicação da Paraíba, Pernambuco, Rio Grande do Norte e de São Paulo, destaco neste post três assuntos que renderam ótimas discussões ao longo do encontro: Direito digital, e-commerce e startups.

 

Segurança digital e marco civil da internet

 

O bate-papo sobre segurança digital foi curtinho, mas rendeu muito e a plateia pediu bis e mais tempo para falar do assunto nas próximas edições! A especialista em direito eletrônico Vanessa Polli, coordenadora do programa segurança digital, alertou os participantes acerca dos cuidados nos contratos com os anunciantes, bem como os contratos com os profissionais de comunicação que planejam e produzem anúncios nas mais diversas plataformas ou os que trabalham na produção de conteúdo das marcas.

 

Ela lembrou o marco civil da internet, sancionado há alguns meses e que embora tenha nascido já com muitas falhas (que deverão ser alinhadas através de emendas e novos projetos de lei), deu o pontapé inicial para a regularização de várias condutas entre clientes, empresas, governo e operadoras de internet.

 

Vanessa chamou a atenção para os perigos de se compartilhar informações de outras pessoas em páginas publicitárias, sem o consentimento do autor, situações que podem gerar demandas judiciais e crises que prejudicam a reputação de empresas e de pessoas.

 

‘Deus continua castigando o burro’

 

A palestra que bombou em Jampa foi a do publicitário Tiago Luz, Chief Evangelist da empresa VTEX. Com a palestra ‘Deus continua castigando o burro’, Tiago integrou humor e informações relevantes sobre estratégias de marketing para o e-commerce.

 

Foi muito interessante perceber que atitudes simples podem fazer muita diferença no momento da decisão de compra do consumidor nos meios online. Tiago mostrou exemplos de empresas que conseguiram alavancar as vendas, fazendo pequenas modificações em seus sites de vendas, como a retirada dos botões das mídias sociais (polêmico), dando um maior destaque ao ícone de compra.

 

Outra estratégia curiosa é inserir junto ao ‘x’ que indica a desistência da compra (e o consequente fechamento da página ou do anúncio) uma frase que faça o cliente pensar duas vezes antes de mudar de página. Um dos exemplos foi o de um Pet-shop, em que a equipe de comunicação colocou ao lado do ‘x’ a seguinte frase: ‘Não, o meu pet não merece este serviço!’, isso duplicou as vendas em poucos dias.

 

A era dos vídeos tutoriais para comunicar e, quem sabe, vender!

 

As inserções de vídeos tutoriais nos sites de e-commerce estão com tuuuuudo!!! Segundo Tiago Luz, um site de vendas de produtos ou serviços que insira vídeos para ajudar o consumidor a entender os benefícios do que está em destaque ou apenas apresentar os produtos com mais detalhes, tem o poder de aumentar as vendas em mais de 200 %.

 

Hoje com as facilidades de se realizar gravações de alta qualidade com os smartphones, não é mais desculpa não se utilizar deste benefício para construir uma relação bacana com seus clientes. Maaasss, porém, todavia, entretanto, o palestrante ponderou explicando que a empresa não deve esquecer o planejamento e a consistência do conteúdo em vídeo na hora de investir em imagens em movimento. Não pode ser uma ação passageira, tem que fazer parte da estratégia do site.

 

Vender é preciso, expor as opiniões dos clientes então….

 

Um ponto muito bacana destacado por Tiago Luz foi a relevância das recomendações no sites de e-commerce. Empresa que deixa lá na capa, bem aparente, as opiniões dos internautas que já usaram o serviço, ou compraram, trocaram, venderam ou ainda somente pesquisaram, conseguem alavancar seus negócios de uma maneira impressionante.

 

As pessoas querem ter acesso ao que as outras estão falando daquele produto ou serviço. Se isso não acontece diretamente na página da empresa, elas procuram no facebook, no twitter ou em qualquer outra plataforma de mídia social. O consumidor pesquisa, opina, pergunta! O empreendedor digital que entender isso poderá transformar as opiniões dos seus consumidores em importantes aliados nos negócios.

 

E onde fica a reputação?  

 

E em meio às discussões sobre as estratégias para alavancar o e-commerce, Tiago Luz mostrou alguns exemplos bizarros de comunicação de usuários na internet, sobretudo o facebook. Situações terríveis em que o ser humano torna público o seu lado mais grotesco, preconceituoso e desrespeitoso.

 

Tudo para exemplificar o quanto na internet, na ânsia de compartilhar conteúdos, o usuário às vezes (ou frequentemente) ultrapassa a linha da ética. Os cases foram muito engraçados e fez toda plateia refletir sobre a reputação na web, ou melhor, a falta dela!

 

Innovation Day: StartUps e investidores anjos     

 

Na segunda etapa do Digitalks João Pessoa, o destaque foi o Innovation Day, momento novo do encontro que neste ano destacou a temática das Startups e foi coordenado pelo empresário Geraldo Santos, da DEMO Brasil, evento que movimenta anualmente todo o ecossistema das Startups brasileiras.

 

O Innovation Day começou com o case da Editora Abril e a parceria com a aceleradora americana Plug and Play, que por um lado vem gerando oportunidades para startups brasileiras e por outro revelando novos negócios para uma das maiores editoras da américa latina.

 

O executivo da Abril Rogério Tamassia destacou o quanto tem sido motivador para a Editora Abril seguir uma tendência mundial de apostar na inovação de Startups, cujos negócios não estão diretamente relacionados ao foco de revistas impresas. SiiiiiiM, os caras sabem que o ‘papel’ está perdendo cada vez mais espaço para o ‘digital’ e estão correndo atrás e apostando em novas áreas de investimentos!!!

 

Dentre as vantagens da parceria da Abril com a aceleradora Plug and Play estão a proximidade com novas tecnologias (principalmente a mobile, mas também os wearables e robôs), o incentivo aos funcionários com o que eles estão chamando de #STARTUPMODEON, que seria a ativação de um tal ‘modo startup de ser’ e a aposta em novos modelos de negócios.

 

Pelas afirmações de Tamassia, ficou beeeem evidente que a editora já trabalha com a perspectiva de que a longo prazo as revistas impressas deixarão de existir da maneira como tradicionalmente conhecemos e que o caminho para o digital é sem volta! Em tempo, as Startups selecionadas pelo Programa de Aceleração Abril Plug and Play  recebem três meses de treinamentos intensivos no país e outros três meses no Vale do Silício, nos EUA.

 

O que é o tal do investimento-anjo?

 

Ainda no universo das Startups, os participantes do Digitalks João Pessoal acompanharam a palestra do empresário e representante da organização sem fins lucrativos Anjos do Brasil, para a região Nordeste: João Kepler.

 

Ele explicou o que são os chamados ‘investidores-anjos’: “Investimento efetuado por pessoas físicas, com seu capital próprio, em empresas nascentes com alto potencial de mercado”, informou o empresário durante a apresentação.

 

Kepler lembrou que hoje em dia para se tornar investidor-anjo não precisa doar quantias altas em dinheiro, e sim, valores mínimos que possam auxiliar a startup a se manter.

 

O perfil dos investidores brasileiros é formado principalmente por empresários (49%), em segundo lugar, são executivos de empresas (23%), há também Gestores de investimentos, profissionais liberais e acadêmicos. Para quem está começando, João Kepler lembrou que há muitos estágios de investimentos:

 

  1. Tudo começa (geralmente) com o apoio da Família e dos amigos;
  2. Aí vem o investidor-anjo, mas para conseguir chegar nesta etapa, o empreendedor/inovador precisa ter um plano de negócios sólido.

 

Segundo Kepler, para iniciar um negócio é preciso primeiramente saber o POR QUE? Em seguida O QUE? Para depois pensar no COMO? – Com isso o palestrante propôs uma nova maneira de se pensar o formato tradicional de construção de um plano de negócios, que segue a ordem do O QUE?, COMO? e POR QUE? As outras etapas dos estágios seriam:

 

  1. Fundos de investimentos – semente
  2. Venture – Capital
  3. Private Equity
  4. IPO – Bolsa

 

João Kepler também apresentou algumas precauções aos novos investidores/empreendedores tendo em vista o mercado atual, pautado pela dinâmica da comunicação digital:

 

  • O negócio deve ser escalável, ou seja, alto poder de produção com baixa necessidade de infraestrutura;
  • Equipe focada, dedicada e comprometida;
  • Afinidade do seu negócio com o mercado;
  • Geração de caixa mais rápido;
  • Boa história para contar;
  • E que faça sentido para todos, equipe, fornededores, clientes e sociedade!

 

E você? Já participou de algum Digitalks? Também esteve presente na edição 2014 em João Pessoa? Se sim, conta pra gente as suas impressões! E se você ainda não leu a primeira parte da cobertura Digitalks 2014 João Pessoa, clique aqui! Quer saber mais? Acesse o site do evento, alguns palestrantes disponibilizaram os slides das apresentações. Bye bye e até o próximo post!